Arquivo para prisão

I will wait forever

Posted in Versus Pandora's with tags , , , , , on fevereiro 24, 2015 by Pandora Bezarius

1748a6180547aff89e1188fbd332d590

Tão simples quando é sua decisão, quando você descobre o que é bom pra si. O que torna difícil são as decisões alheias, justamente àquelas que vão contras as suas e te fazem parar de respirar por um tempo. Apesar da dificuldade, o correto é sempre aceitar a decisão do outro, não é? É tão difícil ser egoísta, às vezes, ser um pouco mais fiel a si próprio. Correr atrás das nossas crenças e identidade. Foi difícil aceitar a sua decisão de simplesmente ir, mas se você precisa se encontrar, então, eu vou manter a porta aberta para você. Espero que te lembres e se recorde da minha porta. Quando voltares, eu espero ter as minhas coisas mais organizadas… No entanto, se quiseres fechar a porta, deixe-me saber, para que eu não te espere em vão.

Meu amor é feito um jardim,

Cheio de flores e cercado de grade.

Teu amor é feito um pássaro assim,

De livre voar pelas tardes.

E foges de minhas flores, do meu amor.

Foges de mim e de terror.

Mas não quero que vá – meu bem.

Quero teu deleito também.

Quero saborear o bater das tuas asas,

A bela cor das tuas penas.

Faz de mim a tua casa,

E do meu amor faz o teu lema.

Mas te enganas que meu amor é prisão!

É um jardim secreto e florido.

A chave te foi dada para abrir o portão…

Ainda que, cheio de rosas, esteja ferido.

(Jean Simon)

Anúncios

Só Por hoje Vou me lembrar que Sou feliz!…

Posted in Versus Pandora's with tags , , , , , on junho 18, 2010 by Pandora Bezarius
Quem sabe um pouco cansado,
Quem sabe um pouco infeliz…

Quem sabe um pouco mau humorado.
E não é o que se diz!
Quem sabe não esteja inventando,
Um pouco de tristeza,
E aumentar minha disposição de insano,
E treinar minha fraqueza.
Quem sabe eu não fuja,
Gritando na rua
Por um pouco de atenção…
Quem sabe não seja a minha prisão!
Entre grades invisíveis
E Janelas penduradas,
Permaneço estático no prado,
De bico, mau humorado.
Resmungando injuriado
As loucuras do meu grado.
Que sabe não seja um tormento
Mas acredito e ainda aguento
o fraquejo do meu ser:
Esse de imaginar e ainda crer!…
(Jean Simon)

P.S.: Hoje eu já sei que sou tudo o que preciso ser. Não preciso me desculpa e nem te convencer.